We're glad to have you CONSULTING CONSULTING CONSULTING CONSULTING CONSULTING CONSULTING CONSULTING CONSULTING CONSULTING CONSULTING CONSULTING CONSULTING CONSULTING CONSULTING CONSULTING CONSULTING CONSULTING CONSULTING CONSULTING CONSULTING CONSULTING CONSULTING CONSULTING CONSULTING CONSULTING CONSULTING CONSULTING CONSULTING CONSULTING CONSULTING CONSULTING CONSULTING here

We launched our new site and with it a lot of new opportunities. Let's find out!

Gerir Talentos em IT

Gerir talento é sinónimo de atrair, desenvolver, motivar e reter pessoas. É um grande desafio para a área de recursos humanos, especialmente, para quem trabalha num mercado tão competitivo como é o mercado de IT. Trabalho neste setor há vários anos e desde sempre se manteve dinâmico e invertido, uma vez que a procura de profissionais qualificados por parte das organizações, independentemente do tipo de negócio que desenvolvem, é maior que a oferta de pessoas especializadas na área. Temos assistido a mudanças constantes no mercado de trabalho, na nossa forma de trabalhar e o contexto de pandemia, em que vivemos atualmente, veio acentuar isso mesmo. As novas metodologias e ferramentas de trabalho, bem como as diferenças geracionais que temos assistido ao longo dos anos, tornam cada vez mais relevante a proposta de valor de cada organização, diria até que é essencial para atrair e reter talentos, e a existência de uma estratégia de employer branding igualmente forte.

A gestão de talento é um processo contínuo e que envolve várias etapas, desde o recrutamento e seleção, contratação, formação, acompanhamento e tudo o que garante a integração e retenção do colaborador. Para mim, gerir um talento começa logo no processo de recrutamento e seleção, onde conseguimos perceber se o candidato que estamos a recrutar, faz ou não o “fit” com a cultura da organização e com o projeto em causa, além de validar se tem o perfil técnico que procuramos. É aqui que tudo começa, que as expetativas se alinham e que iniciamos o processo de integração na equipa.

Ao longo da minha experiência profissional tenho percebido que reter e gerir um talento passa cada vez menos pela questão salarial, mas sim por criar e oferecer boas condições de trabalho e benefícios extra à remuneração. A possibilidade de trabalho remoto, por exemplo, agora forçado pela pandemia, é um fator importante para reter talentos, assim como a flexibilidade, ter uma política de feedback, existir um bom ambiente de trabalho, os projetos serem tecnicamente interessantes, haver uma preocupação genuína com as pessoas, saber como se sentem, garantir que são tratadas com respeito e que estão envolvidas na organização, além da própria organização promover uma comunicação transversal e transparente.

Com a rapidez com que as alterações tecnológicas acontecem no mercado de IT, é importante apostarmos na requalificação técnica destes profissionais, trabalhando e gerindo o seu talento através de formação que promova o desenvolvimento de competências técnicas e comportamentais, incentivando a evolução e sem nunca esquecer o plano de carreira desse talento.

Atravessamos a “era dos talentos”, a palavra talento está praticamente em todo o lado, e claramente que existe um esforço das organizações, especialmente de IT, para atrair e reter talentos. A pergunta que podemos colocar é COMO? Como contornar a escassez de profissionais na área? Como fazer frente à concorrência e não perder pessoas qualificadas? Como destacar a nossa proposta de valor? A resposta não é simples, mas acredito que a solução passe por adotar e definir uma estratégia baseada num conjunto integrado de processos, programas e iniciativas, que valorizem e desenvolvam o potencial de cada pessoa, alinhada com a cultura e valores da organização, não descorando a satisfação, motivação e engagement dos seus talentos.

Não é fácil gerir talentos nesta área de IT, ainda para mais na realidade da Integer, com a grande maioria das pessoas em regime de outsourcing. Atrair e reter bons talentos é difícil, mas motivar e envolvê-los com a organização é ainda mais complexo! Também, se fosse fácil possivelmente não seria tão desafiante! Requer dedicação, resiliência, criatividade, transparência, capacidade de persuasão e, acima de tudo, o mais importante é nunca desistir! Acreditar que definimos as nossas práticas da melhor forma que sabemos, seguindo sempre os valores e princípios da organização e confiar que damos o nosso melhor. É importante acompanhar o que se passa no mercado, conhecer a concorrência, superá-la sempre que possível, e manter em primeiro lugar, a ética, o profissionalismo e a integridade.

Acredito que possa ser uma vantagem competitiva para as organizações e uma forma sustentável de gerir os seus talentos: garantir uma boa liderança, ter um plano bem definido e implementar boas práticas na gestão de pessoas. Para mim, é a fórmula de ter sucesso na gestão dos talentos!
Tânia Gomes
Head of People & Talent

Latest Articles

Gerir Talentos em IT

Gerir talento é sinónimo de atrair, desenvolver, motivar e reter pessoas. É um grande desafio para a área de...

Ser líder num mundo VUCA

Ao longo da nossa vida todos nós temos momentos ou contextos em que somos líderes e em que somos...

O Novo Normal

Temos de nos habituar a coexistir com um vírus que está a mudar para sempre a forma de fazer...

Utilizamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Os cookies ajudam-nos a perceber a forma como o nosso website é utilizado. Ao continuar, estás a aceitar a nossa Política de Cookies. Ao continuar, estás a aceitar a nossa Política de Privacidade.